Slides
Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Conectar-se

Esqueci minha senha

Últimos assuntos
» eu odeio o horario de verão,e você?
Ter Dez 20, 2011 7:18 pm por Juez

» Prisão sul coreana tem guardas robóticos
Ter Dez 20, 2011 7:13 pm por Juez

» jogar os widgets para a direita
Seg Nov 28, 2011 7:50 am por Administração

» organizar a area de 'Download' em ordem alfabetica
Seg Nov 28, 2011 7:49 am por Administração

» remover o anti spam
Seg Nov 28, 2011 7:46 am por Administração

» Modificações na Equipe de Moderação
Seg Nov 28, 2011 7:43 am por Administração

» Dúvida
Dom Out 30, 2011 7:42 pm por Juez

» Desfiando Chuck Noris
Sex Out 28, 2011 7:03 pm por RedHooh

» Mineiros chilenos com problemas psicológicos
Qui Out 27, 2011 5:09 pm por Administração

» Um aviso a todos!
Seg Out 24, 2011 4:41 pm por Administração

» descobri um atalho interessante
Dom Out 16, 2011 10:09 pm por Steel

Os membros mais ativos do mês

Parceria


Faça aqui!
Parceiros
Estatísticas
Temos 73 usuários registrados
O último usuário registrado atende pelo nome de leopardo

Os nossos membros postaram um total de 1646 mensagens em 546 assuntos

Sala Desativada em escola de menino morto

Ir em baixo

26092011

Mensagem 

Sala Desativada em escola de menino morto




A sala de aula onde Davi Mota Nogueira, de 10 anos, atirou na professora na quinta (22) vai se transformar em um ambiente de reflexão. Segundo Márcia Gallo, diretora da Escola Municipal Professora Alcina Dantas Feijão, a sala onde funcionava o 4º ano C será fechada.

“Vamos deixar a sala trancada por enquanto. Ela deve virar um ambiente especial com livros, gravuras e desenhos. Será um espaço para reflexão sobre a violência e pela paz”, afirmou na tarde desta segunda-feira (26), após prestar depoimento no 3º DP da cidade.

A diretora disse ainda que visitou os pais de Davi na tarde do sábado (24) e que eles estão muito abalados com o que aconteceu. “Fomos dar apoio à família”, afirmou a diretora.

Márcia também disse que assistiu às imagens das três câmeras de segurança da escola, mas ainda não conseguiu analisar detalhadamente nenhuma delas. “Mas, pelo que vi, não tem nada de significativo”, disse.


A delegada Lucy Fernandes afirmou que os
depoimentos ouvidos até agora reforçam
o bom comportamento de Davi
(Foto: Raphael Prado / G1)
Novos depoimentos
A Polícia Civil em São Caetano do Sul, no ABC, retomou na tarde desta segunda os depoimentos para tentar esclarecer o caso do aluno. Foi ouvida, além da diretora, a orientadora educacional Zeni Giraldi.
A delegada Lucy Fernandes, titular do 3º Distrito Policial em São Caetano, disse que uma das psicólogas ouviu de um aluno, logo após o ocorrido, que aquela tinha sido uma "brincadeira que não deu certo". "Essa linha parece razoável. Seria até mais plausível, tendo em vista que ele era um bom menino", afirmou a delegada.
Segundo Lucy, os depoimentos ouvidos até agora reforçam a ideia do bom comportamento de Davi. "Não trabalho com a possibilidade de bullying ou que ele tenha sido vítima de outro tipo de violência", afirmou.
Os depoimentos continuarão durante a semana. Na quarta-feira (28), a delegada irá até à escola às 14h conversar com, no mínimo, cinco crianças - que tiveram seus nomes citados em alguma parte dos depoimentos - com a ajuda das psicólogas. Na quinta-feira (29), a professora Rosileide Queirós de Oliveira, que continua internada no Hospital das Clínicas, será ouvida no hospital. Já na sexta-feira (30), o pai de Davi prestará depoimento no 3º DP.


Investigações
A polícia investiga se o aluno havia premeditado o crime. Professoras ouvidas na semana passada chegaram a dizer em depoimento que ouviram alunos comentarem que Davi tinha prometido matar Rosileide e se matar em seguida. Um desenho do aluno, no qual ele se retrata segurando duas armas ao lado de um professor, está sendo analisado por psicólogos.
As aulas foram suspensas na escola e deverão ser retomadas na quarta, quando devem retornar os alunos que viram Davi atirar na professora e se suicidar.
Caso
O garoto da 4ª série do ensino fundamental entrou com a arma particular do pai escondida dentro da mochila, pediu para ir ao banheiro, retornou e disparou contra a educadora Rosileide Queirós de Oliveira, de 38 anos, que dava aula numa classe com mais de 20 alunos. Logo depois, atirou contra a própria cabeça. A tragédia ocorreu durante a tarde da última quinta, mas até agora a motivação do crime ainda é um mistério.

A arma usada por Davi é do pai dele, o guarda-civil Milton Nogueira, de 42 anos. Ele poderá ser responsabilizado criminalmente por negligência por não ter conseguido impedir o filho de pegar o revólver calibre 38 que guardava em casa.
Professora internada
Rosileide continuava internada em observação num quarto do Hospital das Clínicas em São Paulo. Ela não corre risco de morrer. Até esta tarde, ela sabia que quem atirou nela foi Davi, mas não tinha conhecimento do fato de ele ter se suicidado.
A delegada Lucy Fernandes ainda aguarda a autorização da unidade médica para saber se a professora Rosileide tem condições físicas e psicológicas de prestar um depoimento. O hospital não havia se pronunciado sobre o pedido da polícia até o início desta tarde.

Caso haja a permissão, a delegada Lucy pretende falar com a educadora dentro do hospital nesta quarta-feira (28) ou na quinta (29). Também existe a possibilidade de Rosileide deixar o hospital até essa data. Ela, que passou por cirurgia para retirada da bala que atingiu no quadril, se recupera consciente e já recebendo visitas de parentes.

Ajuda psicológica
A Prefeitura de São Caetano colocou à disposição de pais, alunos, professores e funcionários da escola onde ocorreu essa tragédia um serviço de atendimento psicológico. Quem se interessar pode procurar a Unidade de Saúde da Criança e do Adolescente na Rua Goitacazes, 301, no Centro da cidade.
Em entrevista ao G1 no domingo pela manhã, o pai de Davi afirmou que “a gente nunca vai ter resposta” para explicar porque seu filho tentou matar a professora e se matou. Ao Fantástico, ele e a mulher, Elenice Mota, de 38 anos, disseram que não se sentem culpados pelo que aconteceu. Também afirmaram que querem pedir desculpas à professora baleada por seu filho.

Fonte: G1 em http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2011/09/sala-onde-aluno-atirou-em-professora-no-abc-sera-desativada-diz-diretora.html
avatar
Juez
Adminzuca
Adminzuca

Mensagens Mensagens : 70
Créditos Créditos : 88
Data de inscrição Data de inscrição : 08/09/2011

Idade : 29

Voltar ao Topo Ir em baixo

- Tópicos similares
Compartilhar este artigo em: diggdeliciousredditstumbleuponslashdotyahoogooglelive

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum